quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

diario 1

Bem, os posts que seguirão serão três historias reais (devidamente alteradas pelas minhas impressões e preservando a identidade dos envolvidos) que não se ligam nem um pouco umas com as outras, muito menos são interessantes... mas me vieram a cabeça como interligadas...
queria usar a ordem cronológica real, mas a ausência de um pedaço da primeira historia me impede. Então comecemos do fim!



- Vai lá seu bobo, é hora de você trabalhar.
Ela disse sorridente enquanto o mandava embora delicadamente. Ele a beijou de surpresa e ela se derreteu toda.
Era tão difícil mandá-lo embora!
-Vai logo antes que eu me arrependa de deixar você ir.
Ele foi andando em direção a porta. Do nada ele se virou, caminhou até ela, a empreensou contra a parede e lhe deu mais um beijo. E sussurrou ao seu ouvido "Deixa eu ficar mais um pouco"
-Não, bobinho... Obrigações sem primeiro lugar -ela disse fazendo pose de mais velha.
-Vou cumprir minha obrigação então - ele disse com sorriso de menino sapeca
"Já cumpriu" ela pensou com uma pontada de desgosto. Às vezes ela sentia que ele só estava com ela por obrigação e que o prazer de estar junto já tinha se esvaído a muito tempo, embora ela ainda o sentisse.
Mas, definitivamente, não era a hora de mandá-lo embora. Ainda não era a hora de libertá-lo.
O sorriso de menino e as demonstrações de carinho a convenciam de deixá-lo ultrapassar as barreiras nunca antes exploradas, rumo ao seu coração.
No dia de mandá-lo embora (antes que ele mesmo o fizesse) ela não precisaria dizer adeus. Ele mesmo, depois da eternidade de silencio ao seu lado, caminharia até a porta e se despediria com um beijos xoxo. E ela nem desconfiaria que aquele seria o ultimo.
Tolinha ela, mas feliz.



Esse eu não tenho grandes certezas de que é real... talvez tenha varios pedaços de coisas que eu me lembro como uma só. Os outos serão menos confusos eu prometo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário