sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

diario 3

Ela tinha ultrapassado todas as barreiras do bom senso: Um e-mail se declarando tinha sido o auge da maluquice completa.
Sem nenhuma noção!
Ela sentia uma pontada de arrependimento e muita vergonha do que tinha feito, mas agora a merda já estava executada. E ela ansiava desesperadamente pela resposta dele.
O que ela não sabia é que uma garota de 14 anos nunca estaria preparada para ler o que se seguia. Ele foi até simpático com ela, pediu desculpas, foi educado (o que a deixou com muita raiva, pois ela começava a ter pena de odiá-lo) mas em meio as palavras doce daquele toco ele veio com a belíssima pérola "você é muito magra, gosto de meninas mais fofinhas".
Legal, era um eufemismo pra você é feia sua magricelas!
Ainda bem que ela não acreditava nessas coisas...
Pera aê, ela não acreditava mesmo??
Anestesiada ela aprendeu a não sentir raiva dos homens, aprendeu a não guardar magoas e a não se aproximar mais. Então ela disse que não ia esperar mais (embora o que ela mais tivesse feito fosse esperar). E ficou assim, olhando pra si mesmo como alguém que um dia, talvez, com muita sorte, voltaria a gostar de alguém (e arrisco a dizer até de si mesma)... o que é óbvio aconteceu antes do que ela esperava.
Aconteceu assim que a menina foi morrendo e a mulher começou a despontar.



Hoje eu sonhei com ele, engraçado né?

e um dia eu mostrarei a resposta na integra... é só eu acha-la... e torço para que não tenha perdido...

e sim chegou ao fim... julguem por vocês mesmo as semelhanças das três historias :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário