segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

dualidades

As lembraças basicamente se dividem em duas: as boas e as reais.
É incrivel como o você subjetivo pudesse ser tão fofo, cavalheiro, gentil e engraçado.
Me fazendo rir e ter orgulho de te exibir como uma grande conquista.
Mas olhando de fora, sem meus óculos cor de rosa, você é como todos os outros. Fragil e com más inensões. Como um garoto entre cem mil outros garotos.
É engraçado como hoje eu vejo que eram só meus olhos. Só meus olhos.
Hoje eu vejo que você, como todo mundo, é homem e lobo (talvez seu homem e meu lobo). Sentimentos e razões, pensamentos em impulsos ao mesmo tempo, numa batalha infinita, onde ao ignorar uma parte eu a fiz mais forte e vencedora.
Seu você em mim não é o mesmo que os outros vêem. Sua vida cruza comigo de uma forma original, perfeita e única.
Assim, sempre terá "meu você" e "outros você" e quem sabe a realidade.
E com as cicatrizes completamente extintas eu rio. E oceano em outras aguas. Em outras vida.

3 comentários:

  1. caranba... me emossionei mto! axo q toda mulher ja passo por isso 1 ves na vida!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! concerteza fomos amigas em outras vida!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! vlw pelo testo!

    ResponderExcluir
  2. de nada :)
    p.s: realmente é bem real kkkk

    ResponderExcluir